sexta-feira, 31 de outubro de 2014

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Contexto social e sebastianismos

«(...) o frágil (do sonho) pode ser aparentemente forte e a força  (da realidade) pode ser aparentemente anódina e irrelevante (...) sintoma de uma sociedade que descarta o presente porque também se concebe sem futuro.»
                                     Prof. Dr. Rolando Lalanda Gonçalves

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Citações




               - Do you see yonder cloud that's                              almost in shape of a camel?
               - By th’ mass and ’tis like a camel                            indeed.
               - Methinks it is like a weasel.
               - It is backed like a weasel.
               - Or like a whale?
               - Very like a whale.
                                                         W.S.

Artes (bucólica)

Marques de Oliveira - Um trecho do rio Vizela - 1868

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Se uma boa teoria é "bastante prático" uma má teoria pode ser um desastre

http://www.revistadehistoria.com.br/secao/entrevista/quentin-skinner
O utilitarismo não está já na moda


«(...) as mudanças de vocabulário (...) são indicadores ou reflexos de transformação mais profundas na vida social. (...) [N]ão possuo nenhuma teoria geral acerca dos mecanismos da transformação social e desconfio bastante daqueles que a julgam ter. Acima de tudo, suspeito de quaisquer teorias em que o próprio tempo surge como um agente de mudança.»
Quentin Skinner, Visões da Política, Difel, Lisboa, 2005, trad.João P.George

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Imagens de Portugal


Portugal foi [e é] a pátria da poesia pastoril  
Friedrich Bouterwek 


Vide Martin Albuquerque, «Primeiro Ensaio Sobre a História da «Ideia de Europa» no Pensamento Português» in Estudos de Cultura Portuguesa, Vol I, Col. Temas Portugueses, INCM, 1983, 280.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Em nós desenhada uma república

D.João III
(…) poderemos manifestamente conhecer que nos deu a natureza em nós mesmos não somente a mostra de suas grandes maravilhas mas ainda um copioso e expresso regimento para o governo de nossas vidas, porque quem bem discutir, e especular, o assento tão firme dos pés o artificio tão grande sobre eles edificado, o foro do corpo tão robusto e largo; a lonjura dos braços, o engenho e subtileza das mãos, as luzernas dos principais sentidos postos em a cabeça como em atalaia de todo o corpo verá evidentemente como em nós estão traçados os fundamentos e princípios de toda a prudência humana, e governo da boa e perfeita república, verá como digo em nós desenhada uma república (…)
Doutor Francisco de Melo, na abertura das Cortes de Évora, no Domingo dia 13 de Junho de 1535

Artes

Vieira da Silva - Atlântida -

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A gestão da doença crónica, serviços domiciliários e serviços na comunidade

«A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) dá respostas no presente, mas preocupa-se igualmente com o futuro», afirmou o Ministro da Saúde, Paulo Macedo, referindo-se à função que as instituições privadas de solidariedade social (IPSS) podem desempenhar na prestação de cuidados de saúde, «em especial na prevenção e no tratamento da condição de saúde das pessoas».Ministro da Saúde, Paulo Macedo
«(...) [A] tónica deve ser colocada «na gestão da doença crónica, desenvolvimento de mais serviços domiciliários e serviços na comunidade (...).»
«[O] Governo tem protegido a saúde dos portugueses e tem dado especial atenção ao sector social», A Lei da Bases da Saúde, a Lei de Bases da Economia Social e o regime próprio de contratação para o setor social (...) houve - pela primeira vez - «a preocupação de estabelecer como objetivo um modelo de partilha mais efetiva de responsabilidades, introduzindo transparência nos modelos de realização de prestações de saúde como os acordos de gestão, os acordos de cooperação, e as convenções».
   Adapt do Boletim do Governo

VALORIZANDO O QUE OS TERRITÓRIOS TÊM DE TENDENCIALMENTE ÚNICO CONSEGUIREMOS VENCER

«As regiões ultraperiféricas fazem parte do património essencial da União Europeia, sendo fatores absolutamente distintivos deste património, que o valorizam e enriquecem», afirmou o Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, no Fórum das Regiões Ultraperiféricas, em Bruxelas.
Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional,...Acrescentando que «o nosso objetivo não deve ser apenas o de termos, na União Europeia, políticas dirigidas a estas regiões ultraperiféricas», o Ministro referiu que o foco deve estar em «garantir que todas as políticas europeias respeitem as particularidades destes territórios».
«Todos os nossos países enfrentam, nos próximos anos, o desafio crucial de garantirmos a todos os nossos territórios, sem exclusão, uma inserção bem sucedida na economia global», sublinhou Miguel Poiares Maduro.
E afirmou: «Só encontrando e valorizando o que os territórios têm de tendencialmente único, tirando criativamente o máximo partido dos seus recursos endógenos, conseguiremos vencer os desafios da competitividade». «Só uma competitividade firmemente enraizada no território nos permitirá resistir à pressão para a deslocalização própria da globalização».
Lembrando que «estamos na reta final de negociação dos programas operacionais para o ciclo 2014-2020», o Ministro referiu que «o resultado que foi alcançado, em termos de dotação específica, para as regiões ultraperiféricas assegurou um nível não disruptivo de financiamento dos sobrecustos decorrentes da localização destas regiões».
«Para além dos sobrecustos, assegurou-se igualmente que as regiões ultraperiféricas beneficiam das mesmas condições, em termos de elegibilidades e taxas, das regiões da convergência. E manteve-se a relevância dos programas de cooperação territorial nos quais participam estes territórios», acrescentou.
Miguel Poiares Maduro concluiu: «Estou plenamente confiante que chegaremos, em breve, ao final do processo de programação dos fundos comunitários para Portugal com a Comissão Europeia. Passaremos, assim, àquilo que verdadeiramente ambicionamos: adquirir rapidamente velocidade de cruzeiro no novo ciclo de investimento e desenvolvimento territorial que temos pela frente».